O projeto Cartografia de imagens: filme-carta, formação e experimentação está sendo desenvolvido desde Agosto de 2018 no Estado da Paraíba, e consiste na implementação de Escolas Experimentais de Cinema (EEC) em quatro instituições de ensino do Estado, com a oferta de:

  • kits de produção audiovisual;
  • consultoria técnica e acompanhamento pedagógico;
  • cursos de formação de professores;
  • ateliês de criação cinematográfica com os estudantes;
  • estruturação de cineclubes educativos;
  • desenvolvimento de metodologias com o objetivo de contextualizar as práticas de cinema na realidade social e educacional da instituição contemplada.

A proposta é que as instituições contempladas com o projeto se tornem autônomas para desenvolver práticas educativas com o uso do audiovisual, contribuindo para a inovação do processo de ensino-aprendizagem da escola.

Além disso, os filmes produzidos por professores e estudantes serão exibidos em Mostras de Cinema e Educação locais, e no I Seminário de Cinema e Educação da Paraíba, que será realizado no segundo semestre de 2019.

COLETIVO GARÇAS DO SANHAUÁ & FUNDAÇÃO CASA DE CULTURA COMPANHIA DA TERRA

A Fundação Casa de Cultura Companhia da Terra, em parceria com a UFPB, promove há 8 anos o ensino de História Local e a Educação Patrimonial através da Arte junto às crianças da comunidade tradicional e ribeirinha do Porto do Capim. As Garças do Sanhauá são um coletivo de jovens mulheres do Porto do Capim que realizam diversas atividades culturais. Uma delas é o Cine Porto, um cineclube com a proposta de levar o acesso a filmes que não ocupam espaços comerciais. Nesse sentido, os filmes exibidos buscam fortalecer a identidade e a fruição, tanto como forma de fortalecimento quanto de consciência coletiva e pessoal para crianças e adultos.

Saiba mais sobre as organizações:

 

ESCOLA NOSSA SENHORA DO CARMO

A escola trabalha com a pedagogia de projetos, a partir de uma concepção de educação centrada na autonomia e a liberdade dos educandos. Nossas práticas educativas rompem com a seriação, a aula previamente construída, o quadro e um currículo previamente construído, bem como na centralização da aprendizagem no conhecimento lógico e linguístico. Com um olhar voltado para a inteireza humana, buscamos uma abordagem nas inteligências múltiplas e, assim, em nosso fazer pedagógico a arte é tão importante quanto as demais áreas do conhecimento, pois é parte integrante da constituição do ser humano.

Saiba mais sobre a organização:

 

CENTRO DE EDUCAÇÃO POPULAR

O CENEP tem atuado ao longo de sua existência (quase 30 anos) no desenvolvimento das potencialidades culturais no município de Nova Palmeira, buscando o enriquecimento da vida cultural de seus habitantes. Desse modo, temos uma concepção ampla de educação, uma vez que atuamos para além do ensino formal, no desenvolvimento de capacidades intelectuais e artísticas de crianças jovens e jovens adultos com iniciativas no campo da literatura, da música, do teatro, das artes plásticas e da dança.

Saiba mais sobre a organização:

 

ZABELÊ
ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE ZABELÊ & EMEIF MARIA BEZERRA DA SILVA

Desde sua criação em 2002, a ASCUZA trabalha com a formação de crianças, adolescentes e jovens com projetos socioeducativos, produções de audiovisual, fotografia, artesanato, bem como o trabalho de resgate e manutenção da Cultura de Tradição Oral, a exemplo do Grupo de Reisado de Zabelê, promovendo a aprendizagem, encurtando as distancias no que diz respeito a acessibilidade e gerando oportunidades de forma equânime. A escola Maria Bezerra da Silva é uma das principais promotoras de atividades educativas, sociais e culturais do município. A escola promove eventos que evidenciam aspectos da cultura local e busca promover um currículo que contemple as práticas sociais locais como por exemplo, a vaquejada, a renda renascença e a memória dos idosos.

Saiba mais sobre as organizações:

 

COMO FUNCIONA A METODOLOGIA DO PROJETO?
  • Prática de ver e fazer filmes como mediação da aprendizagem escolar, potencializando: o desenvolvimento da criatividade; a educação crítica do olhar; a investigação do território; o acesso aos saberes que circulam na comunidade; a relação construtiva consigo, com o outro e com o mundo; a construção ativa do conhecimento.

  • Em cada encontro são propostos dispositivos de criação cinematográfica, que funcionam como jogos com regras e limites que desafiam os estudantes a manipular a linguagem do cinema na construção do seu olhar sobre as coisas do mundo;

  • Os encontros são modulares, permitindo que cada curso seja adaptado e contextualizado à realidade e ao interesse da turma, fazendo com que professores e estudantes se tornem agentes ativos na elaboração do percurso criativo estabelecido pelo grupo;

  • A natureza modular das práticas educativas com o cinema possibilita o desenvolvimento de metodologias que correspondam às singularidade de cada instituição;

  • Realização de cineclubes mensais com o objetivo de: aprofundar o diálogo entre professores e estudantes; ampliar o repertório audiovisual do grupo; compartilhar os trabalhos realizados pelos estudantes.

  • Envolvimento de representantes da diretoria, coordenação, professores, funcionários e estudantes na gestão da EEC para conferir autonomia ao grupo e garantir a continuidade do projeto.

 

QUANTO TEMPO DURA O PROJETO?

  • O projeto será realizado entre Agosto de 2018 e Dezembro de 2019.

  • Durante 2018.2, faremos o trabalho de formação de professores, consultoria técnica e planejamento pedagógico das atividades, além de dar início as sessões do cineclube de cada escola contemplada. Em 2019, serão realizadas as atividades dos Ateliers de criação cinematográfica com os estudantes e a Mostra de Cinema com os filmes realizados.

  • A culminância do projeto se dará no I Seminário de Cinema e Educação da Paraíba, realizado no final de 2019, com a exibição dos trabalho e os relatos de experiências das escolas para a o público do evento.

 

E DEPOIS?

  • Após a conclusão das atividades do projeto, as instituições estarão aptas a dar continuidade às práticas educativas de acordo com seu próprio planejamento. Os equipamentos serão cedidos permanentemente às escolas após 3 anos de atividades regulares das EECs. Caso haja a interrupção do trabalho no meio desse período, os equipamentos serão recolhidos e cedidos para as demais escolas interessadas.

1 comment

Roberto Ribeiro

Boas tardes parabéns pelo maravilhoso projeto é gostaria muito de falar com os idealizadores meu zap 021 996786625oi sucesso….viva a 7 arte e a educação e Cultura….através do cinema…..

Deixe uma resposta